Monday 28th July 2014,
aKademia

21, O FIM?

Ana Lúcia Correia Dezembro 15, 2012 OPINIÃO Sem Comentários
21, O FIM?

Tanto que se diz por aí que as certezas já são poucas, aliás, é certo que o dia 12/12/12, que também foi falado como um dia de precaução, já passou, mas receio o dia 21/12/12.

Procuro tantas explicações que depois só fico ainda com mais dúvidas, mas então, o mundo vai ou não acabar no dia 21 de Dezembro?

Não me preocupava muito com isto, aliás, até admito que falava muito ironicamente sobre este assunto, mas ouvir falar deste “fenómeno” com seriedade e ouvir com “ouvidos atentos” fez-me mudar a forma de ver as coisas. O certo é que com a data aproximar-se, e as metas ficam cada vez mais distantes.
Quero acreditar que nada vai mudar, que nenhum apagão acontecerá, que nenhum milagre de Fátima se realizará, que nenhum tremor de terra se sentirá, que nada faça deslocar o eixo da terra, que nenhum cometa alterará a sua trajetória, mas a verdade é que estou receosa.

Diziam também que a passagem do ano de 1999 para 2000 sería um fenómeno também inexplicável e o certo é que todos nós continuamos aqui.

Acho que esta ideia de “fim do mundo” está enraizada na mitologia desde que os seres humanos se tornaram sedentários. É uma forma dos “sacerdotes” terem poder sobre o povo.  Penso que o fim do Mundo, ou melhor, o fim da Terra será quando o Sol morrer, e não me parece que ele morra em Dezembro deste ano.

A primeira profecia dos Maias fala sobre o final do medo, diz que “o nosso mundo de ódio e materialismo terminará no sábado, 22 de dezembro do ano 2012. Neste dia a humanidade deverá escolher entre desaparecer do planeta como espécie pensante que ameaça destruir o planeta ou evoluir para a integração harmônica com todo o universo.”

Na minha opinião o dia 21 será claro um fim, o fim de muitas vidas, assim como todos os dias que se seguirão e que se seguiram até à data, da mesma forma que nascerão inúmeras pessoas também. Falando com esperança, a minha convicção é de que acontecerá algo, algo simbólico, as pessoas andarão mais atentas, mas será mais um dia, um dia normal, em que muitos de nós se levantarão, irão trabalhar, chegarão novamente a suas casas e tudo correrá bem. Acredito nisso, ou quero acreditar.

Partilha

Jornalista

Deixa o teu comentário

Login: